fonte: internet

Casa onde Machado morou no Cosme Velho

Depoimento de Mário de Alencar – filho espiritual de Machado.

“Um dos grandes sentimentos, nesses últimos dias foi o que ele próprio chamou no Memorial, de ‘orfandade às avessas’. Chegava a não entender mais o pensamento derradeiro de Brás Cubas e tinha saudade dos filhos que não tivera. Sentia, e não se vexava de confessá-la, inveja de quem os havia, não importava em que número. O essencial, o bem era tê-los, para a animação e consolo da vida, particularmente da de um solitário como ele de alma e corpo. Amava as crianças, e há páginas que o revelam no Memorial, posto que sabia que também a maldade se aninha ou já vem formada no coração das crianças. O que em outra época lha havia merecido a crítica, parecia-lhe agora desculpável e amável. Era de ver o gesto com que acariciava os pequenos. ‘Sei que fazem sofre os pais’, dizia-me, ‘mas bem que dão compensa todos os sacrifícios’. E escrevia-me que os carinhos de mãe, esposa e filhos eram o melhor viático para a saudade.”*

* – “Machado de Assis” in Alguns Escritos. RJ, Garnier. 1910.

Anúncios